Dicas para focas e ex-focas

02mar09

bearded_sealHá algumas semanas, a jornalista Ana Estela de Sousa Pinto, editora de Treinamento da Folha de S.Paulo, me perguntou como acompanhar os atos dos congresssitas. Hoje, no Twitter, ela pede dicas para um foca que caiu em uma editoria de política (para quem não sabe, foca é o jornalista em início de carreira).

Vamos lá:

Um dos problemas para acompanhar os atos dos congressistas (e do agentes públicos em geral) é exatamente a falta de transparência. Enquanto não tivermos uma boa lei de acesso à informação pública, ficaremos nessa de recolher migalhas de informações objetivas.

Só para lembrar, mais de 80 países têm uma lei de acesso específica.  No segundo semestre de 2008, dois países sul-americanos aprovaram lei de acesso à informação pública: Chile, em agosto, e Uruguai em outubro.

E esse cenário de dificultação em se conseguir informações objetivas sobre os atos dos agentes e dos órgãos públicos tem uma consequência nefasta para o trabalho do jornalista (para a informação da sociedade, portanto): como é difícil obter dados objetivos e relevantes, e como o cara tem que voltar com uma pauta pro jornal, o repórter acaba dando atenção maior do que devia a buxixos, fofocas e balões de ensaio, o que serve aos interesses dos politicos.

Sobre isso, sugiro texto do ombudsman da Folha, Carlos Eduardo Lins da Silva, publicado em 25 de janeiro.

(Alias, a sugestão que o Carlos Eduardo deu é uma das coisas que os jornais poderiam fazer já para melhorar sua cobertura de política: colocar um repórter para cobrir, exclusivamente, as comissões. Com especial atenção para a comissão de Orçamento.)

Porém, apesar do cenário de opacidade, há alguma informação oficial disponível.

 

Portal da Transparência

No âmbito do Executivo federal, por exemplo, há o Portal da Transparência . Ali, é possível conhecer detalhes sobre transferências e convênios.

 

CGU

Outro sítio que vale uma visita é o da Controladoria Geral da União, onde é possível cavar várias pautas (sobre isto, ler estudos realizados pela equipe do Deu no Jornal, projeto da Transparência Brasil). 

 

Legislação federal

Outra dica importante: dá para acompanhar o que a Presidência promulga, ou seja: tudo o que vira lei federal. Basta assinar o sistema Push da Casa Civil

Hoje, por exemplo, recebi uma resenha indicando que concessões de radiodifusão foram renovadas, outorgadas ou transferidas. Foram 24 decretos sobre concessões assinados pelo presidente da República na última sexta-feira. Como se sabe, muitos políticos detêm concessão de rádio e TV — o que é um acinte à democracia (para esse assunto, vale uma visita ao projeto Donos da Mídia)

É grande a possibilidade de algum político ter se beneficiado com algum desses 24 decretos. Olha uma pauta aí….

 

E como acompanhar os atos dos Congressistas? 

 

Congresso Nacional

Convém assinar o boletim diário de notícias da Câmara e do Senado. Claro que será preciso filtrar alguma coisa, mas os textos em geral trazem boa informação sobre o que ocorre lá dentro e não pesam muito a mão para favorecer a tal e qual congressista.

Além disso, sugiro visitas periódicas ao sítio de Internet de organizações que se dedicam a acompanhar esses políticos mais de perto. Transparência Brasil, Contas AbertasCongresso em Foco, por exemplo. Consultas a representantes dessas entidades no momento de elaborar pautas também são recomendáveis.

O projeto Excelências, da Transparência Brasil, tem várias informações sobre parlamentares. Hoje, por exemplo, os jornais trazem a história do diretor-geral do Senado, Agaciel Maia, que teria omitido ser o dono de uma casa de R$ 5 milhões. O servidor disse que o imóvel pertencia a seu irmão, o deputado federal João Maia. Porém, no perfil do João Maia no Excelências , no quadro “Bens declarados”, não consta nenhum imóvel em Brasília.

 

Tribunais Superiores

Outra medida prática: acompanhar o que acontece nos tribunais superiores. Os sítios de Internet do Supremo Tribunal Federal e do Tribunal Superior Eleitoral têm RSS, em suas seções noticiosas. Portanto, é possível acompanhar o que é publicado lá.

 

E, no mais, é buscar informações objetivas e evitar ao máximo as fofocas plantadas pelos politicos, em geral mais espertos que os jornalistas.

Diz-se que o finado Antônio Carlos Magalhães afirmava que há três tipos de jornalistas: os que querem notícia, os que querem emprego e os que querem dinheiro. E cantava a bola para os colegas políticos: para se relacionar bem com a Imprensa, é só dar a cada um o que cada um queria.

Como se vê, se os jornalistas não ficam atentos, os políticos os jantam com muita facilidade…



3 Responses to “Dicas para focas e ex-focas”

  1. 1 Diego Gazola

    Muito bom, parabéns Fabiano

  2. 2 Murilo

    Fabiano,
    o STJ (que julga governadores, conselheiros de TCEs e desembargadores, entre outros, também tem RSS (http://www.stj.jus.br/portal_stj/rss/index.wsp).

    Outra: quase todos os tribunais têm “Push” processual: você pesquisa os processos pelo nome das partes/advogados e cadastra pra receber cada andamento.

    A Câmara e o Senado também têm isso, para o processo legislativo.

    Os sites de todos os órgãos públicos têm ainda um link “contas públicas” e/ou “editais/licitações”, que tem os contratos, compras e outros gastos.

    • 3 fabianoangelico

      Obrigado pelas contribuições, Murilo. Eu não mencionei o do STJ porque, quando eu escrevi o post, aparentemente não estava funcionando.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: